Comer com colher

COM COLHER

Depois dos seis meses, o bebé pode começar gradualmente a comer quase tudo. 

JÁ COME COM COLHER

O seu bebé já come com colher

Até aos seis meses, os pais sabem que o seu filho está a ser bem alimentado com o leite materno. Mas quando o pediatra anuncia que o bebé já pode começar a experimentar novos sabores, as perguntas sucedem-se: O que é que pode comer? Como devem ser dados os novos alimentos? Estará bem alimentado?

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde, (OMS), a amamentação materna deve ser mantida em exclusivo até pelo menos aos seis meses, sendo que a partir desse momento devem começar a ser introduzidos alimentos apropriados para a idade, embora aconselhe a que se continue a amamentar até aos dois anos ou mais. No entanto, cada criança é diferente e nem todas as crianças toleram as mudanças da mesma forma.

 

O Dr. Antonio Redondo, pediatra do Hospital Vithas Medimar Internacional de Alicante, refere que “no caso dos bebés alimentados com leite artificial, pode começar-se antes a introduzir na sua dieta um pouco de fruta e a adicionar cereais sem glúten ao biberão. De qualquer forma, o momento certo para o fazer deverá ser indicado pelo pediatra”. 

EVERYDAY BABY

Esta marca lançou vários produtos que facilitam a vida quotidiana das famílias:

o indicador de protector solar faz com que seja mais fácil passar dias na praia, sabendo que o bebé não se queimará ao sol; biberões e tiras de temperatura fabricados com materiais seguros que permitem saber com exactidão a temperatura do leite; dispositivos para o banho que mostram a temperatura adequada na banheira e garantem que as crianças não escorregam.

Tudo foi cuidadosamente concebido para levar o bebé de viagem.  

A Everyday Baby não é a solução para tudo mas é um passo importante para que os pais possam ter vidas activas com todo o amor e a alegria adicionais que as crianças proporcionam. 

COMO INTRODUZIR OS ALIMENTOS?

O seu bebé já come com colher

A organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) recomenda que a alimentação complementar ao leite seja introduzida na dieta da criança de forma progressiva e faseada.

O Dr. Redondo sugere “que os alimentos sejam introduzidos a pouco e pouco a fim de detectar se algum alimento é mal tolerado ou rejeitado. E, claro, sempre respeitando os hábitos familiares.

É costume começar pelos alimentos que satisfazem as necessidades nutricionais do bebé e aqueles que são mais bem tolerados”. Até aos 12 meses, aconselha ainda: 

 

Verduras, de forma progressiva, evitando as de alto teor em nitritos (espinafres, acelgas, alface, repolho,…) até um ano de idade. 

Carne, começando pela carne branca, seguida da carne vermelha, de forma moderada. 

Peixe branco, a partir dos 9 meses. O peixe azul, de tamanho pequeno, a partir de um ano de idade. 

A fruta, a pedido. Excepto frutas vermelhas e frutas tropicais (mais adiante) 

Lacticínios com leite de vaca, depois de um ano de idade. As bebidas de soja ou de amêndoa não são leite.  

Azeite cru diariamente a partir dos 7 meses. 

O sal não deve ser introduzido no primeiro ano de vida. 

Cereais variados, com preparação mínima (os que têm glúten em pequenas quantidades a princípio, a fim de verificar se são bem tolerados). 

Água, a pedido. 

UM A UM, PARA EVITAR ALERGIAS

A ordem deverá ser recomendada pelo profissional de saúde que segue o bebé. Poderá começar com os verdes, ou pela fruta e os cereais (sem glúten inicialmente). 

Mais do que seguir uma ordem estabelecida, o recomendável é introduzir os novos alimentos um a um, para que o bebé se vá acostumando às novas texturas e sabores. Uma boa regra é deixar passar uma semana entre cada novo alimento para que seja possível perceber se algum alimento traz desconforto ao bebé. 

No primeiro dia, é suficiente oferecer-lhe uma ou duas colheres do novo alimento. Se o bebé gostar ou se o alimento for bem tolerado, é possível que no dia seguinte queira comer mais.