Bárbara Lourenço

.

.

 

Estávamos a meio da manhã quando Bárbara Lourenço entrou no Palácio da Cruz Vermelha para a transformarmos numa habitante daquele local de sonho. Transformámos o look cara lavada que habitualmente tem e abrimos-lhe o armário da nova coleção Woman Limited El Corte Inglés. Para filmarmos este namoro entre actriz, cenário e figurinos convidámos Leonor Bettencourt Loureiro, um dos mais jovens talentos da ala feminina contemporânea.

 

“Escolhi fazer este fashion film por duas razões: a localização, que era mágica, e a coleção Limited El Corte Inglés, que me surpreendeu muito pela positiva. Quando vesti as peças, senti-me bem, jovem e elegante ao mesmo tempo.”

 

O look favorito já havia sido assinalado desde o dia do fitting:

“Um conjunto de camisola e calças de malha, muito confortável.”

E, seria mesmo esse o primeiro de um longo dia de trocas de looks. Era notória a simbiose com a roupa enquanto Bárbara, ainda em processo de preparação, revisitava as cenas com a realizadora. Estava no seu elemento!

 

“Quando fui aos meus primeiros castings como actriz e vi tudo o que se passava à minha volta, nos bastidores, comecei a pensar que se calhar era isto! Foi nesse momento que me apaixonei pela profissão e percebi que queria muito trabalhar como actriz”.

 E, de facto, vimo-la  a entrar na personagem, ao longo da sua metamorfose, caminhando descalça pelos diferentes pisos do Palácio, até chegar às escadarias, imagem inicial do Fashion Film.

 

 

 

Um bom arranque do dia que se avizinhava longo, com várias cenas ainda por gravar. Bárbara permanecia serena, vestia as peças e tornava-as suas, quase parecendo uma escolha natural e orgânica.

“Acho que a colecção é muito versátil. Consigo adaptar bastantes peças ao meu estilo”.

Confirma-se que a versatilidade é mesmo a bandeira de uma colecção que prima pela oferta de diferentes possibilidades de um capsule wardrobe, destinado a diversas faixas etárias. Foi certeira, a escolha de Bárbara para personificar uma das faces femininas da linha Limited El Corte Inglés.

“Sou de fases, mas há algumas que nunca desaparecem, como as calças de ganga, t-shirts e ténis.

Em acessórios, tenho-me mantido sempre no tom dourado, argolas e fios mais simples.”

Os primeiros looks mantiveram-se num patamar de simplicidade. Nas últimas cenas do interior do palácio, a maquilhagem natural foi trabalhada com a introdução de apontamentos mais marcantes, os lábios adoptaram um tom de vermelho cereja e o cabelo foi apanhado, apesar de permanecer effortless.

E, corta para o exterior!

 

Acabámos um dia perfeito com uma vista de cortar a respiração, a clássica mulher elegante contra o imbatível anoitecer veranil da cidade de Lisboa.